(61) 99214-9954

(61) 3272-0016

contato@ccddf.com.br

Tudo que você precisa saber sobre a Doença de Chron

Tudo que você precisa saber sobre a Doença de Chron

As Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) são o tema central do mês de maio, onde a campanha Maio Roxo chama atenção para estas condições, que afetam cerca de 13 em cada 100 mil pessoas, entre crianças e adultos. A Doença de Chron é uma delas e afeta 53,83% destas pessoas.

A Doença de Chron é caracterizada por inflamações pontuais que podem aparecer em qualquer parte do tubo digestivo, desde a boca até o ânus. A maioria dos casos ocorre na parte que compreende os intestinos delgados e grossos. As causas para estas inflamações ainda estão esclarecidas.

Dentre as condições que propiciam o surgimento da doença estão principalmente os fatores genéticos, e os imunológicos. O contato com vírus e bactérias,  estilo de vida com hábitos alimentares pouco saudáveis e tabagismo também se apresentam como possíveis fatores que levam a ocorrência Doença de Chron. Entenda mais sobre o tema ao longo do conteúdo!

Quais os sintomas da Doença de Chron?

Os sintomas gerais desse quadro são dor no abdômen, perda de peso, diarreia, febre e inflamações na boca, também chamadas de estomatites. Também é comum a ocorrência de cólicas e grande presença de gases. Porém, não há um padrão de sintomas, pois eles podem variar de pessoa para pessoa.

Quando o foco da doença é nos intestinos, a diarreia apresenta sangue e secreção. Um terço ou mais dos pacientes de Chron apresenta manifestações de fístulas no ânus e região perianal que geralmente são atípicas e recidivantes.

Há ainda a possibilidade de sintomas não ligados ao sistema digestivo, conhecidos por manifestações extraintestinais, a exemplo de alterações na pele, olhos e fígado. A doença pode se manifestar ao longo da vida por períodos de crises agudas e períodos com ausência de sintomas, chamado de remissão.

Como diagnosticar a Doença de Chron

Para um diagnóstico preciso que leve a identificar esta doença e descartar outras que possivelmente tenham sintomas semelhantes, os médicos fazem uma avaliação do histórico do paciente, e solicitam exames laboratoriais, endoscópicos-Videocolonoscopia e de imagem.

Não há um exame específico para identificação desta doença, mas podem ser solicitados na fase de diagnóstico exames que recolham material para biópsia, como a a Videolonoscopia, e exames de imagem como a Tomografia Computadorizada do abdômen e o Trânsito Intestinal.

Por afetar partes distintas do sistema digestivo, o acompanhamento médico da Doença pode incluir Gastroenterologistas e Coloproctologistas, Nutricionistas, Psicólogos, Oftalmologistas e Reumatologistas dentre outros.

Doença de Chron tem cura?

Por ainda não se reconhecerem as causas desta Doença, a medicina ainda não encontrou uma cura definitiva para ela. Mas existem tratamentos com medicamentos ou intervenção cirúrgica, de acordo com o seu grau de gravidade e comprometimento. Estes remédios são capazes de controlar o quadro na maioria das vezes e possibilitar longos períodos sem manifestação de sintomas.

A princípio, inicia-se o tratamento com medicamentos, principalmente corticosteroides, antibióticos e imunossupressores. Os aminossalicilatos e os imunossupressores são receitados com o objetivo de regredir a inflamação dos tecidos. Já a cirurgia é indicada para o tratamento de estreitamentos intestinais – estenoses ou nos casos de falta ou resposta clínica insuficiente. Esta doença exige acompanhamento constante e com uma equipe multidisciplinar.