(61) 98114-2227

(61) 3965-3333

contato@ccddf.com.br

Entenda tudo sobre a prisão de ventre

Entenda tudo sobre a prisão de ventre

Também conhecida como Constipação Intestinal e Intestino Preso, a Prisão de Ventre é exatamente o que o nome sugere: fezes que parecem “presas” e ou são difíceis de evacuar. Pode  ter várias causas, desde erros alimentares e falta de ingesta de água e líquidos, problemas anatômicos e hormonais e muitas  doenças do trato digestivo. Saiba os motivos para que isso ocorra a seguir.

O que causa a prisão de ventre?

Veja as principais causas:

  • Alimentação irregular e pouco balanceada Pessoas que consomem muita proteína e amido, poucas fibras, e principalmente poucos líquidos, apresentam um bolo fecal pouco hidratado e difícil de evacuar.
  • Uso de medicamentos Alguns medicamento tem a constipação intestinal como um dos efeitos colaterais de seu uso, a exemplo de antidepressivos e analgésicos.
  • Fatores psicológicos Pessoas que tem dificuldade de evacuar fora de casa costumam apresentar prisão de ventre quando passam dias longe do banheiro que se sentem mais à vontade para fazer as necessidades.
  • Sedentarismo A prática de exercícios físicos faz bem pro organismo como um todo, impactando também na qualidade da saúde intestinal.
  • Condições médicas específicas Quadros clínicos como Diabetes, Síndrome do intestino irritável, Diverticulite, Hipotiroidismo, parasitoses intestinais, dentre outras.
  • Hormônios femininos

Uma questão que influencia a prisão de ventre nas mulheres são os hormônios sexuais, que podem deixar o intestino mais lento que o normal. O período menstrual, na menopausa e na gravidez são os mais propícios para que isso aconteça.

Como tratar a prisão de ventre?

Diante das causas, já é possível imaginar o que pode reverter a situação. Quando ligado aos hábitos alimentares, o acréscimo de cereais, frutas, verduras e legumes pode ajudar bastante a melhorar o ritmo do intestino. Bem como o aumento do consumo de água diário para 2 a 3 litros.

A prática de atividades físicas também tem papel importante em um novo estilo de vida que preze por hábitos mais saudáveis que vão além da alimentação. Quando relacionado a medicamentos, deve-se pesar os riscos e os benefícios do seu uso – existem muitos que não podem ser suspensos. A  ingestão de fibras e água pode contribuir enquanto o tratamento está em curso. Lembrando que essas recomendações servem também para a prevenção da prisão de ventre.

As questões psicológicas são mais pessoais, e a recomendação neste sentido é apenas a de procurar não prender a vontade de evacuar e buscar relaxar,  usar outros banheiros quando possível ou tentar condicionar o intestino de maneira que ele funcione quando você estiver em local apropriado.

No que diz respeito aos quadros clínicos, o tratamento para a prisão de ventre precisará de orientação do médico que acompanha o caso, que dará indicações do que pode funcionar sem atrapalhar o tratamento da doença em questão.

Cuidado com os laxantes

Os medicamentos que estimulam a evacuação mascaram o problema, mas não o resolvem totalmente. Eles são indicados como um tratamento paliativo para situações eventuais de prisão de ventre. Quando o problema se torna recorrente, é necessário que se procure um médico.

O uso frequente de laxantes pode provocar dependência física e psicológica, que prejudicam a capacidade de evacuar normalmente. Além disso, o excesso de laxantes pode causar inflamação na parede do cólon e problemas a longo prazo. Nunca os use sem orientação médica.