(61) 98114-2227

(61) 3965-3333

contato@ccddf.com.br

Qual a importância da fisioterapia pélvica na gravidez?

Qual a importância da fisioterapia pélvica na gravidez?

Tanto a gravidez, quanto o momento do parto e do pós-parto são transformações no corpo que necessitam de certos cuidados especiais, já que técnicas consideradas simples podem diminuir incômodos, dores e desconfortos, preparando o corpo para o momento de trazer a criança ao mundo. É neste ponto que a fisioterapia pélvica na gravidez se torna indispensável.

Entenda como ela pode ajudar, o que deve ser feito e tire possíveis dúvidas sobre o assunto no conteúdo de hoje do CCD. Boa leitura!

Fisioterapia pélvica na gravidez: entenda a relação

É muito comum que as pessoas pensem que a fisioterapia funcione apenas para tratar lesões, mas não é simplesmente isso. A reabilitação faz sim parte do processo da fisioterapia, mas a função do profissional não está apenas aí.

Durante a gestação o fisioterapeuta pode auxiliar na prevenção de possíveis lesões, auxiliando a grávida a suportar todas as mudanças provenientes da gravidez, prevenindo e tratando as alterações do assoalho pélvico.

A fisioterapia do assoalho pélvico

Em função das informações acima, é de suma relevância a participação da fisioterapia pélvica na gestação. Ela pode auxiliar em diversos pontos, como para prevenir o prolapso genital – que é onde ocorre à descida do útero e da vagina -, minimizar e prevenir possíveis sequelas oriundas do parto, como a formação de aderências cicatriciais, prevenir e tratar a incontinência fecal e qualquer tipo de disfunção sexual causada após o período da gravidez, como o vaginismo, constipação e flacidez vaginal.

Como é realizada a fisioterapia pélvica na gravidez?

Antes de tudo, é importante que a mulher deixe claro para o profissional se pretende ter parto cesárea ou parto normal.
No caso da cesariana, a fisioterapia pélvica é realizada como profilaxia. Já no parto normal, os exercícios têm como função principal auxiliar a hora do nascimento da criança, onde a mulher consegue ter um controle maior do relaxamento do períneo e, também, da respiração.

Ao longo da gravidez, é fundamental saber trabalhar a mecânica corporal adequada para a grávida. A medida que o útero cresce, a postura e também a coordenação tendem a mudar e, com isso, alguns músculos podem ficar mais tensos e outros podem ficar mais “soltos”.
O fisioterapeuta do assoalho pélvico nesses casos pode propor uma série de exercícios para fortalecer e também relaxar os músculos de maneira adequada, sem lesões para a mulher durante o período gestacional.

Após o momento do parto, ambas mulheres – tanto a do parto cesariana quanto a do normal – podem buscar pela fisioterapia pélvica, já que ela minimiza a formação de cicatrizes, diminuindo problemas e incômodos, como incontinência urinária e o retorno da função sexual sem dor.

O profissional pode optar também no pós-parto pela eletroestimulação, biofeedback, cones e pesos vaginais, que fortalecem e aumentam a tonificação de todos os 13 músculos que compõem a região do períneo.

Aqui no CCD nós contamos com esse profissional. Você pode agendar sua consulta e cessar suas dúvidas sobre a gestação e o pós-parto. Conte conosco e tenha ainda mais saúde durante este período. Até o próximo conteúdo.