(61) 98114-2227

(61) 3965-3333

contato@ccddf.com.br

O que é a incontinência fecal e como ela acontece?

O que é a incontinência fecal e como ela acontece?

A incontinência fecal é caracterizada pela incapacidade de controlar a eliminação do conteúdo do intestino, como gases e fezes.

Não causa nenhum tipo de consequência grave para o organismo (na maioria dos casos), mas pode comprometer a qualidade de vida do portador e causar ansiedade e constrangimentos.
Tire suas dúvidas sobre o assunto ao longo do conteúdo.

Entenda a incontinência fecal

Como você acompanhou acima, o problema é basicamente a perda do controle da defecação.
É uma questão que se manifesta mais em mulheres do que homens, tendo grande relação com o trabalho de parto ( partos prolongados, partos sem assistência, bebês grandes, partos a fórceps), que determina o estiramento e a degeneração parcial do nervo pudendo.
Outras causas são manipulação cirúrgica como nas cirurgias orificiais ou secundária a outras patologias como diabetes ou outras doenças degenerativas.

Atinge  idosos acima dos 70 anos (igualmente em ambos os sexos), mas pode surgir em crianças e jovens.

Quais são as causas

As causas são congênitas ou adquiridas, e podem resultar de doenças, como:

  • Doenças comuns na coluna vertebral;
  • Diabetes;
  • Hipertireoidismo;
  • Inflamações na mucosa do reto;
  • Demência avançada;
  • Lesão neurológica;
  • Tumores no ânus e reto;
  • Prolapso retal (protrusão do revestimento retal através do ânus);
  • Impactação fecal.

Outras causas:

  • Alterações nas consistências das fezes, ocorrendo em função da prisão de ventre e também da diarréia;
  • Cirurgias envolvendo divisão ou dilatação dos esfíncteres anais;
  • Lesões acidentais na região do ânus e reto;
  • Uso de medicamentos;
  • Defeitos na anatomia da região.

Sintomas

O sintoma mais comum do problema é a perda involuntária de gases e fezes. Mas além desse, outros sintomas podem surgir em função da causa do problema.

Desta forma, a melhor maneira de tratar os sintomas é buscando o médico e descobrindo a causa exata da incontinência.

Avaliação médica

A avaliação médica é realizada, em um primeiro momento, com o médico examinando o paciente e procurando alguma anomalia neurológica ou estrutural.
Pode examinar também o ânus, o reto, e realizar a verificação da sensibilidade ao redor do ânus.

Para garantir um diagnóstico exato do problema o médico pode solicitar exames, como manometria anorretal, eletroneuromiografia, imagem por ressonância magnética e  ultrassom. Em certos casos o médico pode solicitar outros exames mais específicos, o que varia de paciente para paciente.

Tratamento

O tratamento pode ser cirúrgico ou clínico. É importante em um primeiro momento estabelecer um padrão regular de defecação para produção de fezes bem formadas.
O médico pode alterar a dieta do paciente e adicionar pequenas quantidades de fibra para o consumo. Caso as alterações não funcionem, o especialista pode prescrever medicamentos para retardar a evacuação das fezes.

O tratamento também pode contar com exercícios dos músculos anais para aumentar a força  e o tônus do mesmo, conhecido por biofeedback. A eficácia dessa técnica é bem comprovada, já que cerca de 70% ou mais dos casos podem ser beneficiados. Para os casos mais graves existe tratamento cirúrgico e mais recentemente a eletroestimulação sacral.

O procedimento cirúrgico pode ser indicado para realizar a implantação de um esfíncter artificial ou  realizar transposição muscular.

Recomendações

Ao notar a dificuldade para segurar gases ou fezes, busque imediatamente o médico. Não fique constrangido(a) em procurar por auxílio profissional. O distúrbio quando não é tratado corretamente pode prejudicar seriamente a qualidade de vida do portador.

Se você ou alguém que você conhece sofre com a questão, procure os especialistas do CCD. Contamos com um corpo clínico altamente capacitado para resolver esses e outros problemas. Até o próximo conteúdo.