(61) 98114-2227

(61) 3965-3333

contato@ccddf.com.br

Encoprese infantil: descubra quais podem ser as causas

Encoprese infantil: descubra quais podem ser as causas

Fazer cocô na roupa pode ser comum para crianças pequenas, quando ocorre muito eventualmente e acontece com a justificativa de não ter conseguido esperar chegar até o banheiro. Porém, quando essa situação começa a se repetir com frequência, em um quadro que a gastroenterologia chama de Encoprese infantil, se torna motivo de preocupação e mais atenção dos pais ou responsáveis pela criança.
Entenda melhor nas descrições abaixo. Boa leitura

Encoprese infantil

A definição da Encoprese infantil se faz por evacuações, voluntárias ou não, em momentos e locais inapropriados, sujando as roupas dos pequenos. As motivações podem se derivar por fatores emocionais ou fisiológicos, citados a seguir.
O escape fecal, termo mais técnico para o ato de fazer cocô na roupa, pode ter diferentes motivos, podendo decorrer de impactação fecal em pacientes com constipação, incontinência, ou encoprese.
Quando o caso deriva de Constipação, a criança apresenta sintomas como ficar vários dias sem evacuar, e quando o faz, as evacuações são dolorosas, com esforço e dificuldade. A impactação fecal é o acúmulo de fezes no aparelho digestivo, obstruindo o trânsito intestinal. As fezes ficam endurecidas, de grosso calibre, e bem difíceis de serem evacuadas de forma normal.

Informações relevantes

Quando há impactação fecal no quadro de constipação, é possível ocorrer formação de fezes amolecidas ou semi líquidas na superfície ao redor da massa fecal endurecida, podendo causar perda inesperada, em evacuação involuntária, que chega até a ser confundida com diarreia. É nesse momento que o escape fecal acontece, causando o constrangimento.
Além da incontinência causada pela impactação, como citado acima, há também casos que se definem pela falta de controle esfincteriano. Este descontrole pode derivar de causas orgânicas, como anomalias anorretais ou continência ainda não trabalhada, em casos de crianças muito pequenas em fase de desfralde. Na parte emocional, disfunções neurológicas podem acarretar a incontinência, e apesar de diagnosticadas pela gastroenterologia, são melhor tratadas pela psiquiatria.
Para que haja diferenciação dos quadros, o gastroenterologista precisará avaliar a história clínica do paciente e realizar exames físicos, que são de suma importância para o diagnóstico adequado, e um tratamento eficiente que cessará o problema e devolverá a tranquilidade para a criança e a família.

Caso sua criança esteja passando por encoprese infantil, se faz necessário buscar orientação profissional o quanto antes, pois situações como essa geram muito desconforto, e em ambiente social, causam discriminação social e sofrimento emocional nelas.

Auxilio

O Centro de Cirurgia Digestiva (CCDDF) conta com um corpo clínico preparado para atender casos como esse, com uma gastroenterologista especializada em atendimento pediátrico. Marque uma consulta para começar a resolver o problema o quanto antes.
Com informações da Dra. Daniela Souza – Gastroenterologista pediátrica do CCD